Seguro para celular: uma garantia de ficar conectado com segurança em Maceió

Assaltos constantes na capital têm influenciado a procura pelo serviço              | Thiago Aquino

FOTO: Thales Souza
Foto: Thales Souza

Usar o celular discretamente na rua ou no ônibus e até evitá-lo por medo de assalto. A sensação de insegurança de quem mora em Maceió pode ser explicada pelo crescimento do número de assaltos a pedestres na capital. No primeiro semestre de 2016 foram registrados 3.545 roubos, 1.129 a mais do que o mesmo período de 2015. E, neste tipo de ocorrência, o objeto levado com mais frequência pelos assaltantes é o celular. As vítimas têm um final diferente: perda total ou a indenização quando se tem o seguro.

Os dados dos assaltos são da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas e são baseados nos registros das vítimas no Boletim de Ocorrência, o BO. No entanto, esse número tende a ser maior. Nem sempre quem tem o celular roubado presta queixa. A universitária Palloma Souza não está na estatística, mas já foi assaltada duas vezes entre 2015 e 2016. Ela não procurou uma delegacia para realizar o BO, não tinha seguro e teve um prejuízo de cerca de R$ 1, 6 mil reais.

Universitária teve dois celulares roubados num período de um ano
Universitária perdeu dois celulares num período de um ano [Foto: Thiago Aquino]
O primeiro pesadelo foi no início de 2015. Enquanto atendia uma ligação, acreditando não ter nenhum estranho numa das ruas do Jacintinho, foi abordada por dois homens armados em uma moto. Já no último assalto, há cerca de seis meses, a estudante – mesmo com o smartphone guardado na bolsa – foi surpreendida por dois jovens de bicicleta.

“O pior dos dois momentos foi o último, pois além de celular roubado, fui verbalmente e fisicamente agredida por eles, um trauma que não me deixou nem assistir aula naquele dia”, relata a estudante.  “Continuo pagando o aparelho que os assaltantes levaram”.

Palloma Souza detalha, no áudio abaixo, os momentos dos dois assaltos:

anatel

“Era Pokémon” eleva número de seguro para celulares

Ser discreto com o aparelho ou evitar usá-lo publicamente não impede o prejuízo. Pensando nisso, um número cada vez maior de usuários busca o seguro como alternativa. De acordo com o corretor Djaildo Almeida, a demanda por este tipo de serviço vem crescendo nos últimos três anos. Na maioria dos casos, a procura se dá pelo receio das pessoas serem vítimas de assalto. “Quanto maior o risco, maior a procura”, comenta.

“Na ‘Era Pokémon’ o seguro é indispensável, porque as pessoas – principalmente, adolescentes, jovens e quem está circulando todos os dias na rua – estão expostas e sujeitas a violência e o seguro é uma garantia de não ficar no prejuízo”.

perfildoassegurado

Diretor de uma seguradora, Djaildo lembra que é importante o usuário ficar atento aos serviços de seguro que são oferecidos pelas operadoras telefônicas. “Muitas vezes o cliente aceita o seguro da operadora no momento da compra, mas quando necessita fica no prejuízo porque nem sempre fica ciente do que está no contrato”. Para ele, a alternativa mais segura é conhecer o serviço através de um corretor e garante: “Sempre apresentamos aos clientes o que o seguro oferece e em que momentos ele será beneficiado com o retorno do investimento”.

Por que ter um seguro para celular? Quem responde é o corretor no vídeo abaixo: 

Vídeo: Thiago Aquino

Quem curtiu a ideia de ter um seguro para aparelhos móveis foi o piloto de linha aérea, Carlos Alberto Fernandes. Ele procurou pelo serviço em 2015, assinou o contrato e há 30 dias precisou recorrer ao seguro porque foi vítima de um assalto em uma rua no bairro do Antares. Ele estava com um iPhone 6, que custou mais de 3 mil reais, quando foi abordado por dois assaltantes.

Segundo Alberto, o seguro é uma alternativa para quem quer usar o aparelho celular com mais tranquilidade e ter a certeza de que, se acontecer algum imprevisto, o serviço vai cobrir. “É vantajoso e vale a pena pagar pelo seguro porque, mesmo você sendo pego de surpresa, vai ter a quem recorrer com uma garantia de não ficar no prejuízo”, afirma o cliente.

Alberto foi vítima de assalto e aguarda indenização
Alberto foi vítima de assalto, perdeu um iPhone e aguarda indenização de seguradora [Foto: Thiago Aquino]
Com a expectativa de receber a indenização nos próximos dias, Carlos Alberto vai continuar com o seguro. Para o cliente, a amenização do prejuízo, recebendo cerca de R$ 2.800,00 de indenização “faz valer a pena aderir ao seguro e ter investido os R$ 700 reais durante o contrato”.

Outros equipamentos com seguro

Apesar de o roubo ser a ocorrência mais comum coberta pelo seguro, não é apenas o celular que pode estar coberto pela apólice. De acordo com o corretor Djaildo Almeida, o interessado pode ampliar o número de pertences que queira assegurar em casos de sinistros: equipamentos portáteis como notebook, tablet, câmera e filmadora estão na lista de pertences que também são assegurados.

Equipamentos cobertos por seguro [Imagem: reprodução / Jaraguá Seguros]
Equipamentos cobertos por seguro [Imagem: reprodução / jaraguaseguros.com.br]
O aumento da procura, segundo Almeida, também pode ser explicado pelo valor acessível aos clientes, que varia de acordo com o produto. São de 15% a 20% do valor descrito na nota fiscal. O pagamento pode ser dividido durante todo ano em parcelas de até 6 vezes sem juros. A opção de pagamento também é flexível: crédito, débito ou no carnê. “Nestas condições, podemos dizer que até adolescentes e jovens podem ter o seguro do seu aparelho”.

Aplicativo evita fraudes

Para assinar o contrato, o cliente precisa apresentar a nota fiscal do produto, informar quais benefícios que melhor se enquadra e instalar um aplicativo localizador no aparelho. Esse procedimento, de acordo com Djaildo é para segurança do próprio cliente em ter a garantia da indenização. “Hoje em dia com o grande número de assaltos, qualquer pessoa pode chegar numa delegacia e fazer o BO e apresentar como argumento para receber o valor indenizatório, mas com o localizador a gente monitora onde o cliente estava nos últimos momentos do dano e, então, isso confirma a situação e evita fraudes”, esclarece o diretor da Jaraguá Seguros.

Garantias e benefícios do seguro para equipamentos portáteis
Garantias e benefícios do seguro para equipamentos portáteis [Reprodução: jaraguaseguros.com.br]
WhatsApp supera telefone em atendimento entre cliente e seguradora

whtasSe, entre os equipamentos portáteis, o smartphone é o produto que mais motiva as indenizações oferecidas pelas seguradoras, ele também é responsável por ser ponte de negociação entre os clientes e as seguradoras. A Jaraguá Seguros, por exemplo, mantém um site interativo onde os próprios internautas podem conferir os tipos e benefícios dos seguros, fazer a simulação e solicitar os serviços. Para chegar até o momento do contrato, no entanto, as pessoas procuram tirar dúvidas direto com o corretor, não na sede da seguradora, mas pelo WhatsApp. “As pessoas querem mais comodidade e, pensando nisso, buscamos nos aproximar delas. O atendimento pelo aplicativo vem superando o telefone”, afirma o diretor Djaildo.